Trilhas da imaginação: compreendendo a construção histórica e social do “exotismo amazônico” por uma leitura ecossistêmica comunicacional

Rafael de Figueiredo Lopes, Wilson de Souza Nogueira, Wilson de Souza Nogueira

Resumo


O artigo propõe uma reflexão sobre o contexto exótico e espetacular atribuído à Amazônia, numa perspectiva metodológica ecossistêmica comunicacional, ou seja, analisando o fenômeno na articulação entre fatores históricos, humanos, socioculturais, ambientais e tecnológicos. Desse modo, expõe um mosaico de multiplicidades, procurando resgatar aspectos que contribuíram para a cristalização do imaginário sobre a região, enfocando características relativas à formação do ambiente natural, à presença humana e suas diferentes etnias e às transformações socioculturais ocorridas ao longo do processo histórico. Percebe-se, que a força de ideologias hegemônicas construíram ideias e valores que ainda se propagam no senso comum, principalmente, pelos meios de comunicação. Assim, as concepções sobre a Amazônia costumam reproduzir símbolos e valores do imaginário colonizado, reforçando estereótipos, clichês culturais e limitando a compreensão das singularidades de uma região heterogênea.

Palavras-chave


Ecossistemas Comunicacionais; História; Amazônia; Imaginário.

Texto completo:

PDF

Referências


AMÂNCIO, Tunico. O Brasil dos Gringos: imagens no cinema. Niterói: Intertexto,

ARAÚJO, Vera Lúcia Santiago. Ser ou Não Ser Natural: Eis a Questão dos clichês de

Emoção na Tradução Audiovisual. 2000. 271 f. Tese (Doutorado em Letras) -Universidade de São Paulo, 2000.

ARENDT, Hannah. A vida do espírito: o pensar, o querer, o julgar. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1995.

BENCHIMOL, Samuel. Amazônia: Formação social e cultural. Manaus: Valer, 2009.

BOLLE, Willi; CASTRO, Edna; VEJMELKA, Marcel (orgs.). Amazônia – Região Universal e Teatro do Mundo. São Paulo: Globo, 2010.

BUENO, Eduardo. A viagem do Descobrimento. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998.

________. Náufragos, traficantes e degredados: as primeiras expedições ao Brasil. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998.

COLFERAI, Sandro. Um jeito amazônida de ser mundo. A Amazônia como metáfora do ecossistema comunicacional: uma leitura do conceito a partir da região. Tese (Doutorado em Sociedade e Cultura na Amazônia). Universidade Federal do Amazonas, Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia. Manaus: UFAM, 2014.

CAPRA, Fritjof. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. São Paulo: Cultrix, 2002.

CAPRA, Fritjof. Teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 2006.

CUNHA, Edgar. Cinema e Imaginação. São Paulo: USP, 1999. Gonçalves, 2010

GONÇALVES, Carlos Walter. Amazônia, Amazônia. São Paulo: Contexto, 2010.

GONDIN, Neide. A invenção da Amazônia. Manaus: Valer, 2007.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em Acesso em 16/05/2015.

MARTINELLO, Pedro. A “Batalha da Borracha” na Segunda Guerra Mundial e sias consequências para o Vale Amazônico. Rio Branco: Ufac, 1988.

MIGÑOLO, Walter. Cartas, crônicas e relações do descobrimento e da conquista. Madri: Cátedra, 1982.

MONTEIRO, Gilson Vieira; ABBUD, Maria Emília de Oliveira Pereira; PEREIRA, Mirna Feitosa (orgs.). Estudos e perspectivas dos ecossistemas na comunicação. Manaus: Edua/UFAM, 2012.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand, 2002.

PAES LOUREIRO, João de Jesus. Cultura amazônica - Uma poética do imaginário. Manaus: Editora Valer, 2015.

PINTO, Renan Freitas. Viagem das idéias. Manaus: Valer, 2006.

PIZARRO, Ana. Amazônia as vozes do rio: imaginário e modernização. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

PROUS, André. O Brasil antes dos brasileiros – a pré-história do nosso país. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

SILVA, Juremir Machado da. As Tecnologias do Imaginário. Porto Alegre: Sulina, 2003.

SORANZ, Gustavo. Território Imaginado – Imagens da Amazônia no cinema. Manaus: Edições Muiraquitã, 2012.




DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.18224/mos.v9i2.5087.g2999

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


MOSAICO | Mestrado em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | ISSN 1983-7801 | Qualis B3