LUÍS SERGUILHA: DO TEXTO RESISTENTE PLASTICIDADE POTICA, UMA (IN)COMUNICABILIDADE RUPTURANTE

Soleni Maria Teles de Sousa

Resumo


Resumo: faz-se neste texto um estudo da poética irreverente, renovadora de fuga e deslizamento realizada por Luís Serguilha, especialmente nas obras: Lorosa?e Boca de Sândalo, Embarcações, Hangares do Vendaval, O Extremo Tatuado da Visão e A Singradura do Capinador.Sua criação se serve de traços visuais e auditivos que parecem obedecer à técnica cinematográfica que, na vertigem da tela, tumultuam em perspectivas diversificadas, a terra, a água, o verde, o fogo do pôr-do-sol, o ar, tudo num (des) equilíbrio e encenação de uma linguagem sensitiva, rebelde, de ave voando na amplitude do universo.
Palavras-chave: Luís Serrguilha. Lírica irreverente. experimental.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/gua.v5i1.4734

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.18224/gua.v5i1.4734.g2659



Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


GUARÁ | Departamento de Letras | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | ISSN 2237-4957 | Qualis B2