UMBANDA: AQUÉM E ALÉM DE ORTIZ

Thais Alves Marinho

Resumo


Renato Ortiz é sem dúvida um proeminente cientista social brasileiro, que não se limitou, no entanto, a alçar voos apenas dentro dos limites da ciência de sua formação universitária. Em sua tese de doutorado, intitulada “A morte Branca do feiticeiro Negro” traz uma análise peculiar da Umbanda no Brasil e inaugura a possibilidade de pensarmos esse movimento religioso, como uma religião tipicamente brasileira. Eu advogo, nesse artigo, que a abordagem de Ortiz e as análises da participação do negro na cultura brasileira, apresentadas nessa obra, trazem elementos para pensarmos a Umbanda a partir da perspectiva dos Estudos Culturais e subsidiam as discussões posteriores dentro do escopo dos estudos pós-coloniais.

Palavras-chave


Renato Ortiz; Umbanda; Estudos Culturais; Pós-colonialismo; Afro-brasileiro.

Texto completo:

PDF

Referências


BALANDIER, Georges. The Sociology of Black Africa. London: Andre Deutsch Publisher, 1970.

BASTIDE, Roger. As religiões Africanas no Brasil. São Paulo: Pioneira, 1971.

BASTIDE, Roger. Contribuição ao estudo do sincretismo católico-fetichista: estudos afro-brasileiros. São Paulo: Perspectiva, 1973.

BEVERLEY, John. Cultural Studies. Latin American Literary Review, v. 20, n. 40, p. 19-22, 1992. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/20119618.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

BIRMAN, Patrícia. Laços que unem: ritual, família e poder na Umbanda. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, n. 8, p. 21-28, 1982.

BIRMAN, Patrícia. O Campo da Nostalgia e a Recusa da Saudade: Temas e Dilemas dos Estudos Af'ro-Brasileiros. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 75-92, 1997.

BROWN, Diana et al. Umbanda e política. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1985.

CANCLINI, Nestor. Culturas híbridas. São Paulo: Ed. da USP, 1998 [1989].

COSTA, Sérgio. Desprovincializando a sociologia: a contribuição pós-colonial. Rev. bras. Ci. Soc., São Paulo, v. 21, n. 60, p. 117-134, fev. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69092006000100007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 11 jul. 2019.

DUMONT, Louis. Homo Hierarchicus: the Caste System and Its Implications. Revised English edition. Chicago: University of Chicago Press, 1980.

FLORIANO, Ana Carolina Borginho Rabelo. Intolerância Religiosa e Umbanda: do Embranqecimento à Invisibilização. TCC (Licenciatura em História) - PUC Goiás, Goiânia, 2019.

FOUCAULT, Michel. A ordem do Discurso. São Paulo: Loyola, 2009.

GIUMBELLI, Emerson. Zélio de Moraes e as origens da Umbanda no Rio de Janeiro. In: SILVA, Vagner Gonçalves da (org.). Caminhos da Alma. São Paulo: Selo Negro, 2003. p. 183-217.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HALL, Stuart. Modernity: introduction to the modern societies. Oxford: Blackwell, 1996.

JAMESON, Fredric. On "Cultural Studies". Social Text, North Caroline, n. 34, p. 17-52, 1993. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/466353. Acesso em: 12 jul. 2019.

JOHNSON, Richard. What Is Cultural Studies Anyway? Social Text, North Caroline, n. 16, p. 38-80, 1986. doi:10.2307/466285

LAGES, Sônia Regina Corrêa. Metodologia de pesquisa em psicossociologia: Estudos sobre o campo religioso afro-brasileiro a partir dos estudos pós-coloniais. Psicol. Am. Lat., México , n. 24, p. 83-96, jun. 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2013000100006&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 03 set. 2019.

LOWE, Lisa. Critical Terrains: French and British Orientalism. Ithaca: Cornell University Press, 1991.

NINA-Rodrigues, Raimundo. Os africanos no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1932.

OLIVEIRA, José Henrique Motta de. Das Macumbas à Umbanda: uma análise da construção de uma religião brasileira. Limeira: Editora do Conhecimento, 2008.

ORTIZ, Renato. Estudos culturais. Tempo soc., São Paulo, v. 16, n. 1, p. 119-127, jun. 2004. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702004000100007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 09 ago. 2018.

ORTIZ, Renato. A Morte Branca do Feiticeiro Negro: umbanda e sociedade brasileira. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.

ORTIZ, Renato. La Mort Blanche Du Sacien Noci. Doutorado em Sócio-Economie du développement. École des hautes études en sciences sociales, EHESS, França. 1975.

RAMOS, Arthur. A aculturação negra no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1942.

RICARDO, Raquel Pinto Fabeni. Entre caminhos, fluxos e interdições: mapeando o campo religioso negro na região sul de Goiânia. TCC (Bacharelado em Ciências Sociais) - UFG, Goiânia, 2007.

ROBBINS, Joel. Crypto-religion and the study of cultural mixtures: anthropology, value, and the nature of syncretism. Journal of the American Academy of Religion, Oxford, v. 79, n. 2, p. 408-424. 2011. Disponível em http://www.jstor.org/stable/23020432. Acesso em: 23 jan. 2017.

SAHLINS, Marshall. O pessimismo sentimental” e a experiência etnográfica: porque a cultura não é um 'objeto' em via de extinção (parte II). Mana, Rio de Janeiro, v. 93, n. 2, p. 103-150, 1997.

SANTOS, Boaventura de Souza. Do Pós-moderno ao pós-colonial: e para além de um e de outro. Travessias- Revista de Ciencias Sociais e Humanas em Língua Portuguesa, Coimbra, v. 6, n. 7, p. 15-36, 2008.

SILVA, Vagner Gonçalves da. “Representações sobre a vida e a morte nas religiões afro-brasileiras”. In: OLIVEIRA, Marcos Fleury de; CALLIA, Marcos (orgs.). Reflexões sobre a morte no Brasil. São Paulo: Paulus, 2005. p. 127-134.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. A Critique of Postcolonial Reason: toward a History of the Vanishing Present. Cambridge: Harvard University Press, 1999.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. The Post-Colonial Critic: Interviews, Strategies, Dialogues. Psychology Press, New York, Routledge, 1990.

STEPHENS, Julie. Anti-Disciplinary Protest: Sixties Radicalism and Postmodernism. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

TAYLOR, Charles (org.). Multiculturalismo: examinando a política de reconhecimento. Lisboa: Piaget, 1998.

WACHTEL, Nathan. Los vencidos: los indios frente a la conquista española (1530-1570). Madrid: Alianza Editorial, 1976.

WERBNER, Pina. Essentializing Essentialisms, Essentializing Silence: Ambivalence and Multiplicity in the Cosntructions of Racism and Ethnicity. In: WERBNER, Pina; MODOOD, Tariq (ed.). Debating Cultural Hybridity, Multi-Cultural Identities and the Politics of Anti-Racism. London: Zed, 1997. p. 226-254.

YOUNG, Robert. Colonial Desire: Hybridity in Theory, Culture, and Race. Routledge: London, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v17i3.7640

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Thais Alves Marinho

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (09/03/2016 - 10/03/2020)

Fonte: Google Analytics.