CUIDADOS PALIATIVOS E UMA ANÁLISE FENOMENOLÓGICA DAS VIVÊNCIAS DOS CUIDADORES DE PACIENTES ONCOLÓGICOS

Maria Inês Amaro Assunção de Melo, Waldir Souza, Clélia Peretti

Resumo


O estudo apresenta levantamento de experiências vivenciadas por cuidadores de pacientes oncológicos em cuidados paliativos e realiza análise fenomenológica das mesmas. A pesquisa de campo, transversal, descritiva e qualitativa foi realizada em uma instituição hospitalar do Oeste do Paraná com sete cuidadores nos setores ambulatoriais, internamento e UTI. A análise dos dados teve como fundamento teórico a obra de Edith Stein A estrutura da pessoa humana (1933/2013). A pesquisa mostra que os cuidadores elegem mediante os cuidados paliativos apenas a corporeidade e a exterioridade como forma de reconhecimento do outro necessitando, assim, de uma formação para a interioridade e espiritualidade.

PHENOMENOLOGICAL ANALYSIS OF THE EXPERIENCE OF PALLIATIVE CARE FOR FAMILY CAREGIVERS OF ONCOLOGICAL PATIENTS

The study raises the experiences of the informal caregivers of cancer patients in palliative care and performs phenomenological analysis of them. Field, cross-sectional, descriptive and qualitative research was performed at a hospital in the west of Paraná with seven caregivers in the outpatient, inpatient and ICU sectors. Data analysis was based on the work of Edith Stein La strutura della persona umana (1933/2013). The research shows the fragility of the caregivers in front of the understanding of the structures that make up the human being, choose the corporeity as a way of recognizing the other, they need a formation for interiority and spirituality.

Palavras-chave


Cuidados Paliativos. Cuidadores Informais. Edith Stein. Teologia. Espiritualidade. Palliative Care. Caregivers. Theology. Spirituality.

Texto completo:

PDF

Referências


ALES BELLO, Angela. Introdução à Fenomenologia. Tradução de Jacinta Turollo Garcia; Miguel Mahfude. Bauru: Edusc, 2006.

BERTACHINI, Luciana; BARCHIFONTAINE, Christian de Paul de (Orgs.). Bioética, cuidado e humanização: sobre o cuidado respeitoso. São Paulo: Loyola, 2015.

BORN, Tomiko. A formação de cuidadores formais e informais: acompanhamento e avaliação. São Paulo: PUC-SP, 2006. Disponível em: http://portaldoenvelhecimento.org.br/noticias/artigos/aformacao-de-cuidadores-formais-e-informaisacompanhamento-e-avaliacao.html. Acesso em: 10 nov. 2018.

CORRADI-PERINI, Carla; ESPERANDIO, Mary Rute Gomes; SOUZA, Waldir (Orgs.). Bioética e cuidados paliativos. Curitiba: Editora Prismas, 2016.

COWEY, Eileen. End of life care for patients following acute stroke. Nursing Standard, v. 26, n. 27, p. 42-46, 2012. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22482175. Acesso em: 15 dez. 2018.

DU BOULAY, Shirley. Changing the face of death. The story of Cicely Saunders. 2.ed. Great Britain: Brightsea Press, 2007.

LOVE, Richard. R. Biologia molecular e celular do câncer: manual de oncologia clínica. São Paulo: Springer-Verlag e Fundação Oncocentro de São Paulo, 1999.

MINAYO Tomiko; SOUZA, Maria Cecília de. O desafio do conhecimento: pesquisa quantitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

PESSINI, Leo.; BERTACHINI, Luciana. (Orgs.). Humanização e cuidados paliativos. 3. ed. São Paulo: Loyola, 2006.

RESOLUÇÃO n. 466 (2012,12 de dezembro). Conselho Nacional de Saúde CNS. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html. Acesso em: 15 dez. 2018.

ROSELLÓ, Francesc Torralba. Antropologia do cuidar. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

SISTEMA DE INFORMAÇÕES AMBULATORIAIS SIA/SUS. Manual de bases técnicas da oncologia (17. ed.) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Regulação, Avaliação e Controle/Coordenação Geral de Sistemas de Informação, 2014.

SALES, Catarina Aparecida et al. Cuidar de um familiar com câncer: o impacto no cotidiano de vida do cuidador. Rev Eletrônica Enferm., v. 12, n. 4, p. 616-621, 2010. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/revista/v12/n4/pdf/v12n4a04.pdf. Acesso em: 15 dez. 2018.

SANTANA, Luiz. Edith Stein: a construção do ser pessoa humana. São Paulo: Ideias & Letras, 2016. (Série Pensamento Donâmico).

SANTOS, Franklin Santana. Cuidados paliativos: diretrizes, humanização e alívio de sintomas. São Paulo: Editora Atheneu, 2011.

STEIN, Edith. La strutura dela persona humana: corso di antropologia filosófica. Città Nuova: Edizioni OCD, 2013.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. WHO. OMS. Definition of Palliative Care. Geneva, 2002. Disponível em: http://www.who.int/cancer/palliative/en/. Acesso em: 10 dez. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v17i1.6817

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Clelia C. Peretti, Maria Inês Amaro Assunção de Melo, Waldir Souza

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (09/03/2016 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.