ANÁLISE ESPACIAL DA OCUPAÇÃO URBANA NO ENTORNO DO CÓRREGO DO BARBADO, EM CUIABÁ-MT, A PARTIR DAS INTERPRETAÇÕES DE IMAGENS DE SATÉLITE OBTIDAS DE 1984 A 2018.

Giseli Dalla Nora

Resumo


A Bacia do Córrego do Barbado, objeto de estudo deste trabalho, é um dos principais afluentes do Rio Cuiabá, que abastece a cidade de Cuiabá, no estado do Mato Grosso. Com o forte crescimento econômico do estado, a capital recebeu muitas obras de engenharia, as quais fomentam a ocupação do espaço. Este trabalho analisou o impacto da urbanização no Córrego do Barbado durante o período entre 1984 e 2018, buscando observar a ocupação das Áreas de Preservação Permanente (APPs) ao longo do período citado. Este trabalho teve como metodologia a pesquisa qualitativa e a utilização de imagens de satélite; mais especificamente, imagens do LandSat 5 - Base 226, as quais foram utilizadas para a confecção dos mapas e, consequentemente, para um processo de análise. Identificou-se que, no período supracitado, a área de estudo sofreu forte ação antrópica, impactando diretamente as áreas de preservação permanentes, sendo necessários medidas de compensação ambiental.

Palavras-chave


Áreas verdes urbanas; Diagnóstico ambiental; Índice de qualidade ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BERÉ, C. M. Legislação urbanística: a norma e o fato nas áreas de proteção aos mananciais da região metropolitana de São Paulo. 2005. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005. Disponível em: http://www.teses.usp.br. Acesso em: 23 fev. 2011.

BORDEST, S. M. L. A bacia do Córrego do Barbado, Cuiabá, Mato Grosso. Cuiabá: Gráfica Print, 2003.

DANTAS, K. R. S. Avaliação da evolução da dinâmica fluvial e ambiental da sub-bacia do córrego do Barbado – perímetro urbano. Cuiabá, 2000.

DULLEY, R. D. Noção de Natureza, ambiente, meio ambiente, recursos ambientais e recursos naturais. Agric. São Paulo, São Paulo, v. 51, n. 2, p. 15-26, jul./dez. 2004.

FERREIRA, M. S. F. D. (org.). O Rio Cuiabá como subsídio para a educação ambiental. Cuiabá: EDUFMT, 1999.

GALDINO, Y. S. N.; ANDRADE, L. M. Z. Interações entre a cidade e paisagem ao longo da Sub-Bacia do Barbado, Cuiabá, MT. IV Encontro Nacional da Anppas, Brasília, DF, 2008.

GUARIM, G. N. Diagnóstico florístico e faunístico da cidade de Cuiabá. Relatório de pesquisa – Cuiabá, MT: Universidade Federal de Mato Grosso; Prefeitura Municipal de Cuiabá. 1990.

BRASIL. Lei nº 10.257, de 18 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Brasília, DF, 18 de julho de 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10257.htm. Acesso em: 23 fev. 2011.

BRASIL. Lei nº 12.608, de 10 de abril de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil – PNPDEC; dispõe sobre o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil –SINPDEC e o Conselho Nacional de Proteção e Defesa Civil – CONPDEC; autoriza a criação de sistema de informações e monitoramento de desastres; altera as Leis nos 12.340, de 1o de dezembro de 2010, 10.257, de 10 de julho de 2001, 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.239, de 4 de outubro de 1991, e 9.394, de 20 de dezembro de 1996; e dá outras providências. Brasília, 10 de abril de 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12608.htm. Acesso em: 23 fev. 2011.

LOPES, R. A Cidade intencional: o planejamento estratégico de cidades. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

MANSUR, K. L. Ordenamento territorial e geoconservação: análise das normas legais aplicáveis no Brasil de estudo do Rio de Janeiro. Geociências, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 237-249, 2010. Disponível em: http://www.teses.usp.br. Acesso em: 10 fev. 2011.

PELLEGRINO, P. R. M. et al. A paisagem da borda: uma estratégia para condução das águas, da biodiversidade e das pessoas. In: COSTA, L. M. S. A. (org.). Rios e paisagens urbanas em cidades brasileiras. Rio de Janeiro: Viana & Mosley: Ed. PROURB, 2006. p. 57 -76.

ROSSETTO, O. C. et al. Diagnóstico socioeconômico da implantação da Avenida Parque do Barbado – Cuiabá-MT. v. I. Universidade Federal de Mato Grosso; Secretaria da Copa. Governo do Estado de Mato Grosso. 2012.

SÁNCHEZ GAMBOA, S. (org.). Pesquisa educacional: quantidade qualidade. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SÁNCHEZ, Luis Enrique. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Carlos SP: Oficina de Textos, 2008.

SERVILHA, Elson Roney et al. Conflitos na proteção legal das áreas de preservação permanentes urbanas. I Seminário do laboratório Fluxus – Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo – FEC, UNICAMP. SP. 2006.

SEMA. SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE do Estado de Mato Grosso. Disponível em: http://www.sema.mt.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21&Itemid=34. Acesso em: 28 fev. 2013.

SILVA, M. L. Bairro Jardim Renascer em Cuiabá: um estudo de caso do saneamento e da educação ambiental em Cuiabá, MT. 2007. XX f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Instituto de Educação, UFMT, Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, 2007.

SOUZA, M. L. ABC do desenvolvimento urbano. Rio de Janeiro: Berthand Brasil, 2003.

SOUSA JUNIOR, W. C. Gestão das águas no Brasil: reflexões, diagnósticos e desafios/IEB. Instituto Internacional de Educação do Brasil. São Paulo: Pirópolis, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/baru.v5i2.7268

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rodapé - Baru
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


BARU | Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos | Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás | e-ISSN 2448-0460 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (24/08/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.