Uma Recessão Sem Fim? Políticas Econômicas na Perspectiva Méxica

Alicia Puyana

Resumo


Resumo: o processo de reformas e de ajustes estruturais que ocorreu na América Latina nos anos 1970, 1980 e 1990, e que se intensificou após a assinatura do NAFTA, tem sido apresentado como exemplo do sucesso da liberalização econômica, de ajustamento macroeconômico e disciplina fiscal. Entretanto, no México especificamente, as reformas não geraram taxas de crescimento sustentadas superiores ao período de substituição de importações. Foram alcançados ganhos em produtividade, mas pelo caminho da redução do emprego e não pelo aumento do volume total da produção. A combinação da liberalização plena do comércio, flexibilização da regulação do trabalho e apreciação da taxa de câmbio resultaram em taxas mais baixas de crescimento econômico, fraca expansão da produtividade e queda dos rendimentos reais, gerando fraca demanda doméstica.
Palavras-chave: Liberalização econômica. Disciplina fiscal. Salários. Crescimento econômico.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/baru.v2i2.5278

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

BARU | Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos | Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás | ISSN 2448-0460 |  Qualis B5