Entre a Ordem e a Des(Ordem): A Construção do Território Matogrossense para/pelo Agronegócio

Zuleika Alves de Arruda

Resumo


Resumo: o artigo apresenta análises a respeito da dinâmica atual da territorializacao do capital na fronteira (re)dimensionada do agronegócio mato-grossense. Aponta o papel do Estado como o principal agente viabilizador da inserção do espaço na lógica de (re)produção capitalista. Conclui-se que com a expansão da fronteira (re)dimensionada do agronegócio, o território mato-grossense, notadamente o campo, vem passando por uma reorganização espacial-produtiva decorrente da nova ordem econômica mundial com a presença de corporações agroempresariais globalizadas, que investem na produção, no financiamento, na “logística” de transporte e armazenagem, atuam no setor de beneficiamento da produção e mantêm o controle de distribuição e comercialização em diversas escalas.
Palavras-chave: Fronteira. Agronegócio. Commodities agrícolas. Territorialização. Produção capitalista.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/baru.v2i1.4879

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rodapé - Baru
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


BARU | Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos | Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás | e-ISSN 2448-0460 | Qualis B4

Visitantes - (01/01/2015 - 01/08/2019)
País Usuários
Brasil 5.505
Estados Unidos 254
França 233
Portugal 71
Colombia 51
Iraque 35
Reino Unido 32
México 32
Argentina 29
Total 6.531

Fonte: Google Analytics.