Movimentos Sociais, Processos de Consciência, Ideologia e Desfetichização?

Pitias Alves Lobo

Resumo


Resumo: este artigo tem como objetivo apresentar as conceituações contemporâneas dos Movimentos Sociais, assim como problematizar as suas atuações e perspectivas de formação dentro dos parâmetros da base marxiana como método. Identificar-se-ão os processos de consciência, que dualizam entre a emancipação e a constituição da Ideologia, esta última, como uma das formas emanadas de percepção do mundo. Apontamos os tensionamentos entre Trabalho e Capital como categorias, ainda, inexoráveis de constatação do resultado extrator do trabalho vivo pelo capitalismo, e da tentativa de uma epistemologia pós-moderna de “responder” à modernidade. Apresentamos possibilidades da desfetichização como direcionamentos e pautas na formação política dos sujeitos que, assim, interagem com os diversos grupamentos societários. As conclusões levam-nos a uma perspectiva radicalizada de aprofundamentos das lutas sociais, que levem em consideração a totalidade dos envolvimentos e da necessidade de articulação das convergências dentro das diversas temáticas protagonizadas pelos Movimentos Sociais.

Palavras-chave: Movimentos Sociais. Marxismo. Educação.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/baru.v1i1.4463

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rodapé - Baru
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


BARU | Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos | Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás | e-ISSN 2448-0460 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (24/08/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.